sexta-feira, 10 de setembro de 2010

Proac na Fnac


Nesta sexta, às 19h, vou mediar a mesa Proac na Fnac.

Proac, no caso, é um programa da Secretaria de Cultura do Estado de São Paulo que vem selecionando projetos de álbuns de HQs e dando dinheiro para quadrinistas publicá-los.

Fnac, no caso, é aquela da Av. Paulista / Alameda Santos.

A ideia da mesa é debater o Proac, mas fugindo da chatice que ronda esses temas governamentais. Como mediador, minha missão é 1) fazer que quem estiver lá entenda como faz para se inscrever e se dar bem numa próxima edição; 2) não deixar o assunto ficar desinteressante pra quem não faz quadrinhos e 3) mostrar a diversidade das HQs que o projeto já viabilizou.

O bacana é que temos vários nomes confirmados - a lista está aí embaixo. E outros ainda podem confirmar - se confirmarem a tempo, atualizo a lista.

Mais bacana ainda é o fato de que estamos trocando e-mails há uns dias e todo mundo parece animado para participar.

Autores confirmados

Renoir Santos - Estação Luz
Celso Menezes - Jambocks!
Laudo Ferreira, Omar Vinole e Alex Mir - O Mistério da Mula Sem Cabeça
Custódio - Anita Garibaldi
Bruno Auriema - Lina
Valério de Campos - esse não é autor, mas editor do álbum Loucas de Amor
Orlandeli - (SIC)
Gilmar - Caroço no Angu
Rogério Vilela - Joquempô
Fernando Saiki, Olavo Costa e Flavio Moraes - O Astronauta

Bem, é isso. Aguardamos todos lá.

segunda-feira, 6 de setembro de 2010

Oca Maloca / A Soma dos Dias

Juntei aí embaixo dois vídeos que fiz. Juntei porque os dois mostram passeios por obras de arte em que a gente entra e fica lá dentro, as duas em exibição em São Paulo.

São obras com 20 anos de diferença -- sem falar de todas as outras diferenças: branca / colorida, luz natural / lâmpada de maloca, tecido translúcido / madeira de demolição. Mas há outra similiridade entre elas: a parceria. Numa, com um exímio carpinteiro e dezenas de artistas. Noutra, com um músico renomado internacionalmente.

Filmei sem pretensão, ponto de vista de quem está entrando com uma câmera vagabunda na mão (e foi isso mesmo), tentando e fracassando em transmitir a ideia da obra para quem não a viu. Claro que é impossível.

Não abri os segredos da Oca Maloca, porque essa é a natureza dos segredos. A trilha do Philip Glass de A Soma dos Dias é quase inaudível, porque a Pinacoteca sábado é um barulho só - e lá também as falas se sobrepõem à música.

Os vídeos, enfim, são só isso mesmo.

Oca Maloca - Maria Tomaselli com João Melquíades
Caixa Cultural da Sé - até 17 de outubro



A Soma dos Dias - Carlito Carvalhosa com Philip Glass
Pinacoteca do Estado de São Paulo - até 7 de novembro