terça-feira, 29 de abril de 2008

Júlio Pomar na Pinacoteca

The Beatles I

Não dêem bola para as minhas fotos. Elas estão distorcidas porque foram feitas displicentemente, apenas e somente para o caso de as imagens que eu queria não estarem disponíveis no material de divulgação.

Pois é o caso. Azar.

Só é preciso deixar claro que nenhuma das três fotos deste post faz jus à belíssima exposição do artista português que está em cartaz na Pinacoteca.

(Há outra, simultaneamente. De arte japonesa do período Edo.)

Cada quadro tem um motivo para estar aqui. Motivo meu, claro.

O primeiro, Beatles I, foi escolhido pela força icônica da imagem. A pintura é intensa, violenta, mas tem a delicadeza dos rostos e das formas corretas.

Conversa com outra, cujo nome fico devendo:

Quadro

É uma obra mais recente. Tem mais cores. Tem uma mão ainda mais pesada. Mas lá está, de novo, a delicadeza da Madonna, coisa de um Rafael que se encontra com a fúria de um Pollock.

E, pra encerrar, um porco. Porque ele ama porcos e touros. E pela diversão!

Porco

A exposição fica lá até o dia 18.

Nenhum comentário: