quinta-feira, 26 de abril de 2007

Delírios de um Anormal


Se A Meia-Noite Levarei Sua Alma é um Giotto, Delírios de um Anormal é um Bosch.

Feito em 1978, ditadura mandando ver, com colagens de filmes então proibidos (como O Despertar da Besta), o filme tem duas narrativas paralelas.

Numa, mais convencional, o psiquiatra Hamilton delira que o Zé do Caixão existe, de fato, e quer levar sua mulher, enquanto o próprio José Mojica Marins aparece e intervém, argumentando que sua criatura é só um personagem. É o festival da metalinguagem.

Na outra, várias cenas de um inferno, com tortura, canibalismo e afins vão se somando até formarem uma visão de mundo perfeito de Zé - tão apavorante quanto naïf.

Mas não sou eu quem vai ficar falando de Zé do Caixão. Maldito, do Barcinski e do Finotti, ainda está à venda. É uma senhora biografia.

Nenhum comentário: